Polícia

Homem confessa crime e diz que matou mulher a facadas por vingança

Foto: Reprodução/Facebook

Luciano de Oliveira Pinto foi indiciado por homicídio qualificado pela morte de Anizielly Errobidart, de 28 anos. Segundo a Polícia Civil, ele não deu chance para a vítima se defender, quando foi morta com ao menos 10 golpes de faca.

Segundo o site Diário Corumbaense, a delegada do cartório de homicídios da 1ª Delegacia de Polícia Civil de Corumbá, Tatiana Zingier e Silva, responsável pelo caso, disse que o autor confessou o crime e que o motivo foi vingança.

Durante o depoimento, Luciano alegou que agiu em defesa do pai, o qual julga ser inocente da acusação de estupro de vulnerável contra a filha de Anizielly, de oito anos. O fato e a denúncia ocorreram em agosto passado, quando então, as desavenças entre as famílias começaram.

“O autor ainda falou que a vítima é quem ‘encheu’ a cabeça da menor para que ela confirmasse o crime de estupro na Delegacia, quando o caso foi denunciado pela mãe e, em seguida, o suposto autor pelo estupro foi preso”, explicou a delegada.

Ainda conforme a titular do cartório de homicídios, Luciano disse estar arrependido.

“Ele revelou que no dia do crime, ao ver a vítima na casa, foi em direção a ela, com a ideia inicial de conversar, mas estava com uma faca, e, num momento de raiva, acabou desferindo os golpes contra a mulher. Logo depois dele ter esfaqueado a vítima, fugiu e disse que ‘perdeu’ a faca que usou para golpear a vítima”, revelou a delegada informando ainda que durante o depoimento, o autor se dizia “provocado” por Anizielly diante da situação.

Luciano vai ser encaminhado para o Estabelecimento Masculino de Corumbá. Pelo crime de homicídio qualificado, ele pode pegar pena de 12 a 30 anos de prisão, em caso de condenação. 

De acordo com o Diário Corumbaense,o autor das facadas é sobrinho do ex-marido da vítima. A família dele mora próximo da casa da avó de Anizielly. Os dois praticamente cresceram juntos, tinham boa convivência e até saíam juntos. Após a denúncia, as desavenças e ameaças começaram por parte do autor.

Anizielly deixou três filhos: duas meninas, de seis e oito anos, e um menino, de dois anos, que estão sob cuidados de parentes.

Já o pai de Luciano, que é acusado pelo crime de estupro, permanece preso, conforme informou a delegada da Polícia Civil.

Deixar um comentário

%d blogueiros gostam disto: