Política

Cai ministro da educação: Weintraub anuncia saída do governo em vídeo com Bolsonaro

O presidente Jair Bolsonaro participou do anúncio da saída de Abraham Weintraub do Ministério da Educação.

O ministro da Educação, Abraham Weintraub, confirmou, na tarde desta quinta-feira (18), que vai deixar seu cargo no Governo Federal. O anúncio foi feito em vídeo ao lado do presidente Jair Bolsonaro (Sem Partido) divulgado nas redes sociais do futuro ex-ministro. A queda de Weintraub ocorre após uma série de polêmicas, que culminou na decisão do Supremo Tribunal Federal em mantê-lo como alvo no inquérito das Fake News.

“Desta vez, é verdade: sim, estou saindo do MEC. Neste momento não quero discutir os motivos da minha saída do cargo”, disse Weintraub, lendo um texto de despedida na gravação. Ele também afirma que foi indicado para assumir uma diretoria no Banco Mundial, onde o Brasil lidera um grupo de nove países e, como maior acionista, tem a prerrogativa de indicar o diretor da área.

“Vou começar a transição agora. Nos próximos dias, eu passo o bastão para o ministro que vai ficar no meu lugar, interino ou definitivo”, explicou Weintraub.

Após a fala do ministro, o presidente Jair Bolsonaro disse a Weintraub que o momento é “difícil”, mas “de confiança” e que os compromissos de campanha estão mantidos.

“É um momento difícil, todos os meus compromissos de campanha continuam de pé. Busco implementá-lo da melhor forma possível. A confiança você não compra, você adquire. Todos que estão nos ouvindo agora são maiores de idade, sabem o que o Brasil está passando. E o momento é de confiança. Jamais deixaremos de lutar por liberdade. Eu faço o que o povo quiser”, afirma Bolsonaro no vídeo.

Polêmicas e cortes

Abraham Weintraub assumiu o cargo em abril de 2019, após a saída de Ricardo Vélez Rodríguez, e permaneceu no posto por 14 meses, em uma gestão marcada por polêmicas e cortes na Educação.

Em maio de 2019, o MEC anunciou um ‘contingenciamento’ de 30% do orçamento para verbas de custeio e investimentos das instituições federais. Ainda foram anunciados vários cortes que atingiram 11 mil bolsas de mestrado, e doutorado e pós graduação da (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior) Capes.

A polêmica mais recente começou com a divulgação do vídeo da reunião ministerial de 22 abril, quando ele disse que gostaria de colocar “esses vagabundos todos na cadeia, começando no STF”.

A gota d’água para sua queda foi a decisão do pleno do Supremo Tribunal Federal, na tarde de quarta-feira (17), que manteve Weintraub como investigado no inquérito que apura ameaças, ofensas e fake news disparadas contra integrantes da Corte e seus familiares.

Deixar um comentário

%d blogueiros gostam disto: