Agropecuária

Com novos frigoríficos habilitados, MS quintuplica potencial de abate de bovinos para exportação à China

Fotos de capa e interna: Saul Schramm

O governador Eduardo Riedel participou da solenidade que marcou o primeiro embarque de carne bovina das novas plantas habilitadas pela China para exportação. O evento foi realizado na fábrica da JBS em Campo Grande e contou também com a presença de várias autoridades públicas, entre elas o presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva e o embaixador chinês no Brasil, Zhu Qingqiao. A solenidade foi precedida por uma visita ao interior da unidade, onde os presentes puderam conhecer a produção do local.

Seis frigoríficos foram habilitados em Mato Grosso do Sul para exportação de carne bovina, o que deve amplar de 11% para 57% o potencial de embarque sul-mato-grossense para o país asiático, podendo abater com o SIF (Serviço de Inspeção Federal) até 2,3 milhões de cabeça de gado por ano, contra os 467 mil registrados até então.

As novas unidades habilitadas ficam em Campo Grande (duas), Naviraí, Bataguassu, Cassilândia e São Gabriel do Oeste. Assim, Mato Grosso do Sul soma 11 unidades habilitadas – anteriormente estavam aptas plantas em Iguatemi (duas), Rochedo, Aparecida do Taboado e Dourados – e sobe em 50% sua capacidade de produção com viés de exportação ao mercado internacional.

Governador explica mapa e funcionamento da Rota Bioceânica ao presidente e ao embaixador chinês (Foto: Saul Schramm)

“Nós estamos levando alimento de qualidade para o mundo. O Mato Grosso do Sul é um estado que contribui para o crescimento do Brasil. Temos a terceira menor taxa de desemprego do país e vou acabar este mandato erradicando a pobreza extema, que hoje já é a segunda menor taxa do país”, disse Riedel.

Referência na exportação de carne bovina, as novas plantas habilitadas trazem aspectos positivos para o Estado, acredita o secretário estadual de Meio Ambiente, Desenvolvimento, Ciência, Tecnologia e Inovação, Jaime Verruck.

Os ministros Carlos Fávaro (Agricultura e Pecuária) e Simone Tebet (Planejamento e Orçamento) participaram do evento juntamente com os secretários Eduardo Rocha (Casa Civil) e Rodrigo Perez (Governo e Gestão Estratégica), além de Gilberto Tomazoni (presidente Global da JBS), Gilberto Xandó (presidente da JBS Brasil), Renato Costa (presidente da Friboi), João Campos (presidente da Seara) e os irmãos acionistas da JBS, Joesley Batista e Wesley Batista.

Resultados

O aumento das vendas de proteína animal para a Ásia tem papel fundamental no cenário de exportações de Mato Grosso do Sul. A China, que já era o maior parceiro comercial do Estado, destino de 26% dos produtos no primeiro bimestre do ano passado, passou a ter uma fatia ainda maior, com 38,6% neste ano (até fevereiro).

O gigante asiático comprou US$ 510,1 milhões em produtos de Mato Grosso do Sul, 79,3% a mais em relação ao mesmo período do ano anterior.

A China também é o principal destino das exportações brasileiras de carne bovina, suína e de frango, se destacando como maior parceiro comercial para proteína animal. Em 2023, o país asiático importou 2,2 milhões de toneladas de carnes do Brasil, ultrapassando mais de US$ 8,2 bilhões.

A planta da JBS de Campo Grande, escolhida para marcar o embarque das novas habilitadas, conta com 2,3 mil colaboradores, responsáveis pela produção mensal de 15,2 toneladas de carne bovina.

Essa ampliação vai duplicar a capacidade de processamento e a força de trabalho da unidade em Campo Grande II, que será a maior planta de carne bovina de toda a América Latina e uma das três maiores da JBS no mundo (já é a maior do Brasil).

Durante a solenidade a empresa anunciou que vai dobrar a quantidade de postos de trabalho na unidade, chegando a 4,6 mil colaboradores. Além da China, o frigorífico está habilitado para exportar aos Estados Unidos, Argentina, União Europeia, Hong Kong, Emirados Árabes, Chile, Argélia, Egito, entre outros países.

Natalia Yahn, Comunicação Governo de MS

Deixe uma resposta