PolíciaPolítica

Conselheiro do TCE e delegado da Polícia Civil são presos na 3ª Fase da Operação Omertà

Conselheiro do TCE-MS Jerson Domingos ao chegar na sede do Garras em Campo Grande. (Foto: André de Abreu)

O Gaeco (Grupo de Atuação Especial no Combate ao Crime Organizado) e o Garras (Delegacia Especializada de Repressão a Roubos a Banco, Assaltos e Sequestros) deflagraram, nesta quinta-feira (18), a terceira fase da operação Omertà, para o cumprimento de 16 mandados de prisão preventiva em cidades de Mato Grosso do Sul.

Entre os alvos presos na manhã de hoje, estão o delegado Márcio Shiro Obara, ex-titular da Delegacia Especializada de Homicídios de Campo Grande, e o conselheiro do TCE-MS (Tribunal de Contas do Estado) Jerson Domingos.

Também estão na lista o empresário Jamil Name, 80 anos, e o filho, Jamilzinho, 42, que estão presos no Presídio Federal de Mossoró (RN), denunciados pelo Gaeco como líderes de organização criminosa e milícia armada atuantes em MS.

Fahd Jamil Georges, o “Fuad”, conhecido empresário da fronteira com o Paraguai, e seu filho Flávio Correia Jamil Georges, também receberam a visita dos agentes para o cumprimento de mandados, mas não foram encontrados.

Os outros alvos são Cinthya Name Belli; o investigador da Polícia Civil Célio Rodrigues Monteiro; o sargento da Polícia Militar Rogério Luiz Phelippe; Benevides Cândido Pereira; Lucimar Calixto Ribeiro; o policial federal Everaldo Monteiro de Assis; Frederico Maldonado de Arruda; Lucas Silva Costa; Marco Monteoliva; e Melaciades Aldana.

Os presos estão sendo encaminhados à sede do Garras, em Campo Grande.

Omertà

A Operação Omertà tem como foco o desbaratamento de organização criminosa voltada à prática dos crimes de milícia armada, porte ilegal de arma de fogo de uso proibido, homicídio, corrupção ativa e passiva, dentre outros.

As investigações do Gaeco tiveram início em abril 2019 e foram instauradas com o fim de apoiar os trabalhos de investigações sobre os homicídios de Ilson Martins Figueiredo, Orlando da Silva Fernandes e Matheus Coutinho Xavier, conduzidas pelo Garras, desde 26 de abril de 2019.

No Presídio Federal de Mossoró estão presos Jamil Name e Jamil Name Filho,

Omertà é um termo da língua napolitana que define um código de honra de organizações mafiosas do sul da Itália. Fundamenta-se num forte sentido de família e em um voto de silêncio que impede cooperar com autoridades policiais ou judiciárias, seja em direta relação pessoal como quando fatos envolvem terceiros.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: