Economia

Construção de fábrica anunciada no MS Day avança e gera 2,3 mil empregos

Fotos: Assessoria Inpasa

A fábrica da Inpasa em Sidrolândia está programada para iniciar operações em agosto deste ano, após um investimento total de R$ 2,3 bilhões. O complexo industrial está com 48% da construção concluída e, em breve, estará apta a produzir uma variedade de produtos, incluindo etanol anidro e hidratado, farelo, óleo bruto de milho e energia. O Projeto foi anunciado anunciado durante a 1ª edição do MS Day, no ano anterior em São Paulo

No momento, a obra envolve cerca de 2.300 trabalhadores e representa um processo importante de qualificação profissional, onde os funcionários aprendem a trabalhar em um avançado sistema de automação.  O grupo possui uma unidade em funcionamento em Dourados, onde emprega uma margem de 10 mil trabalhadores diretos e indiretos.

O gerente corporativo de montagem industrial, Iuri Morgenstern relatou que, já no próximo mês, receberão milho, de parceiros, e executarão alguns testes preventivos em áreas na fase de finalização. “Temos a previsão de início das operações de produção da primeira fase ocorrendo no dia 26 de agosto de 2024 e da segunda fase em 28 de outubro de 2024”. Ele destaca que a abertura da fábrica no estado foi motivada por “uma gestão com foco na diversificação econômica, em práticas sustentáveis, no grande potencial natural e energético e na estabilidade econômica”.

O secretário Jaime Verruck (Semadesc) destaca que o projeto traz uma novidade na diversificação da base produtiva. “Por mais que a gente tivesse uma elevada produção de etanol, nós não tínhamos nenhuma configuração de etanol de milho e o Estado sempre foi e ainda é um grande exportador de milho. Então foi uma estratégia de agregação de valor a um produto que até então era exportado”, analisa.

Oportunidades

O engenheiro civil, Oliver Ney Gonzaga Ramos, atraído pela perspectiva de trabalho na construção da fábrica, direcionou seus esforços para Sidrolândia. Nascido em Selvíria, ele soube da vaga pela internet e viu na oportunidade de participar de uma obra industrial uma chance de crescimento profissional. Espera alcançar uma posição gerencial quando a fábrica estiver operacional

“A recrutadora veio até mim através de uma rede social profissional e me deram oportunidade. Gostei do que iriam executar, uma obra industrial, uma das poucas obras que eu ainda não tinha participado de fato como engenheiro”

DDG

Outra novidade está na produção do chamado “DDG”, o farelo de milho bastante usado na ração animal, principalmente bovina e suína. “O posicionamento desse produto deu tão certo que hoje 100% da produção tanto da Inpasa como da outra empresa que é a Neomille no Estado já é disponibilizado e 100% vendido, então mostra o quanto a indústria trouxe de agregação de valor”, diz Verruck.

Deixe uma resposta