Geral

Detentos de Mato Grosso do Sul produzem máscaras de proteção para combate ao coronavírus

 Esperança e segurança às pessoas em situação de vulnerabilidade. São os resultados de uma ação de solidariedade realizada por homens e mulheres que cumprem pena nos presídios de Mato Grosso do Sul. Esses detentos já produziram mais de 1,2 mil máscaras, que foram doadas a instituições sociais. O trabalho voluntário garante mais dignidade tanto para quem recebe o material quanto para quem confecciona também.

No presídio, além das máscaras em tecido e TNT, também são confeccionados uniformes como capotes, gorros, propés, calças, privativos e aventais, proporcionando trabalho a mais oito internos. As peças são doadas ao Hospital Regional de Mato Grosso do Sul e à Secretaria Estadual de Saúde (SES).

A Sociedade de Integração e Reabilitação da Pessoa Humana (Sirpha) – Lar do Idoso, no bairro Nova Lima, já recebeu 200 máscaras para auxiliar os profissionais do local durante o atendimento oferecido aos 84 idosos.

Na Cotolengo Sul-Mato-Grossense, onde são atendidas 195 pessoas entre crianças, jovens e adultos com paralisia cerebral grave ou sequelas neurológicas, foram entregues 175 máscaras.

Na Maternidade Cândido Mariano, na capital, foram entregues mais 380 máscaras. Já na Casa da Mulher Brasileira foram distribuídas 350 peças.

Em Jateí, o Lar do Idoso também foi contemplado com 100 máscaras de proteção. Ao todo, estão em funcionamento 21 polos de produção em unidades penais da capital e do interior graças às inúmeras parcerias firmadas pela agência penitenciária.

Além das instituições sociais, a produção também atende prefeituras de diferentes municípios, Secretaria Estadual de Saúde, secretarias municipais de saúde, hospitais públicos e privados, órgãos públicos e a própria demanda do sistema penitenciário estadual.

Todos os reeducandos que atuam nas oficinas de produção dos Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) recebem remição de um dia na pena a cada três trabalhados, conforme previsto na Lei de Execução Penal.

A produção dentro das unidades penais conta com o apoio da equipe do infectologistas e enfermeiros da Secretaria de Estado de Saúde, do Poder Judiciário e Ministério Público; da Associação dos Magistrados de Mato Grosso do Sul (Amamsul) e da Associação Sul-Mato-Grossense do Ministério Público (ASMMP).

Deixar um comentário

%d blogueiros gostam disto: