Polícia

Jornal onde chargista trabalhava desde 2006 declara luto após assassinato

Foto: Reprodução/Divulgação

O jornal O Estado de Mato Grosso do Sul publicou uma nota em que “lamenta profundamente a morte do colaborador Marcos Antônio Rosa Borges, de 54 anos”. Ele estava desaparecido desde sábado (21), em Campo Grande. Nesta terça (24), uma mulher confessou o assassinato e o local onde escondeu o corpo.

De acordo com o diário, Marcos era chargista do jornal desde outubro de 2006 “e, ao longo destes anos, ilustrou as edições com seu traço único, carregado de humor, ironia ou tristeza, como a que estamos sentindo neste momento”.

“Foram 14 anos interruptos com informações em forma de charge, publicada sempre na página de Opinião do jornal. Aos familiares do Marcos, desejamos forças e muito amor para atravessar esta hora tão dolorida. Nossa redação, hoje, perde um combatente, mas o legado do Marcos Borges continua em nossas páginas e na lembrança dos nossos leitores”, finaliza a nota.  

Morte brutal

A massagista Clarice Silvestre confessou ter confessou ter matado o chargista Marco Antônio Rosa Borges, de 54 anos, que estava desaparecido desde sábado (21) em Campo Grande.

Segundo o site Campo Grande News, a massagista teria afirmado que cometeu o assassinato com uma faca e, depois, esquartejou, queimou o corpo e escondeu em malas.

Os restos mortais de Marcos foram encontrados em uma casa abandonada no Jardim Corcovado, em Campo Grande.

As investigações estão sob responsabilidade da Delegacia Especializada de Homicídios. Ainda não há informações sobre a motivação do crime.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: