EducaçãoPolítica

Marcelo Turine vence eleição para elaboração das listas tríplices da UFMS

Foto: Divulgação/UFMS

A chapa do reitor Marcelo Turine e da vice-reitora Camila Ítavo venceu as eleições de consulta à comunidade universitária para a elaboração das listas tríplices para gestão da UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul), no quadriênio 2020-2024, realizada na sexta-feira (17).

No total, 7.903 pessoas votaram pelo sistema e-votação UFMS, uma participação 9,7% maior da comunidade em relação à última consulta, realizada em 2016. De acordo com a apuração, foram 1.344 votos válidos de docentes, 1.220 de técnicos-administrativos e 5.339 de estudantes. Com 149 votos em branco e 177 nulos.

Os vencedores, chapa 2, tiveram votos de 2.068 estudantes, 687 técnicos e 754 docentes, ou seja, 42,44% dos votos válidos.

A chapa 3 recebeu votos de 1.555 estudantes, 394 técnicos e 430 docentes, totalizando 24,45% dos votos válidos. A chapa 5 teve 460 votos de estudantes, 80 de técnicos e 85 de docentes, somando 4,94% dos votos válidos. E a chapa 1 foi escolhida por 1.256 estudantes, 59 técnicos e 75 docentes, somando 4,78% dos votos válidos.

Os servidores e estudantes da Universidade tiveram das 8h às 21h (horário de Mato Grosso do Sul) para participar da consulta pública, com voto direto e secreto, não obrigatório e em apenas uma chapa. Por conta da pandemia da Covid-19, o processo foi inteiramente on-line pelo Sistema de Votação Eletrônica intitulado e-Votação UFMS, para respeitar as normas de distanciamento social.

A apuração dos votos foi realizada no auditório da Faculdade de Computação, na Cidade Universitária, com transmissão ao vivo pelo canal da TV UFMS no Youtube.

O resultado da consulta será homologado pelo Colégio Eleitoral. A composição da lista tríplice, que será enviada ao Ministério da Educação, também será votada pelo Colégio Eleitoral.

A lista tríplice dos nomes para o cargo de reitor e vice, e todo o processo de consulta à comunidade universitária devem ser encaminhados ao Ministério da Educação até sessenta dias antes do final do mandato atual.

“O processo de consulta da UFMS ocorreu em total tranquilidade, foram três intercorrências apenas, todas devidamente corrigidas, nada comprometeu a segurança do sistema de votação. O sistema é robusto, confiável e nos mostrou rapidamente o resultado dessa consulta importante para a UFMS”, declarou o presidente da Comissão Executiva Central, Henrique Mongelli.

Estiveram presentes no local da apuração um perito e um agente da Polícia Federal; um observador do Tribunal Regional Eleitoral (TRE-MS), que participou remotamente; e membros da Comissão Executiva Central, da Comissão Especial de Acompanhamento e dos fiscais das chapas.

Deixar um comentário

%d blogueiros gostam disto: