Política

“Nenhuma mulher está segura”, diz vereador sobre feminicídio em MS

Foto: Divulgação

O crescente e alarmante índice de violência contra a mulher e o aumento nos casos de feminicídio em Mato Grosso do Sul foram abordados pelo vereador João César Mattogrosso (PSDB) na sessão desta quinta-feira (23) da Câmara Municipal de Campo Grande.

Entre todos os estados, MS ocupa o terceiro lugar em índices de feminicídios do Brasil e, até o dia 1° de junho deste ano, registrava 17 casos. Contudo, mais seis casos foram registrados até o dia 23 deste mês, chegando a 23 feminicídios apenas neste ano. Em 2021 foram 34 registros desse tipo de crime, média de quatro casos ao mês.

O caso mais recente, registrado em Corumbá, ocorreu na madrugada de quarta-feira (22) e vitimou uma mulher de 28 anos. O autor do crime é o ex-companheiro que não aceitava o fim do relacionamento.  

“Quero utilizar esse espaço da nossa Casa de Leis para chamar atenção para um tema muito triste e que precisa da atenção de toda população: o feminicídio. É assustador saber o quanto a violência contra a mulher está crescendo. Eu acredito que essa luta seja de todos nós, uma luta coletiva. A defesa da mulher é uma das nossas principais bandeiras desde 2017 e continuará sendo”, declarou João César Mattogrosso .

Segundo dados divulgados pela Coordenadoria da Mulher, do Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul, 95% dos feminicídios cometidos no Estado ocorreram em ambiente familiar, sendo companheiros, ex-companheiros, filhos, pais, irmãos e outros. As vítimas têm idade entre 11 e 80 anos.

Esses dados alarmantes comprovam que nenhuma mulher está segura, demonstrando a necessidade de medidas efetivas de combate ao feminicídio e à violência contra a mulher. São mães, filhas e irmãs que tiveram suas vidas interrompidas covardemente”, enfatiza o vereador.

Autor de cinco leis municipais voltadas à proteção da mulher, João César Mattogrosso atuou com olhar voltado às políticas transversais enquanto titular da Secretaria de Estado de Cidadania e Cultura (Secic). “Desenvolvemos junto à Subsecretaria de Políticas Públicas para a Mulher o Programa Recomeçar, que oportuniza às mulheres a capacitação para reinserção no mercado de trabalho, pois, sabemos que muitas mulheres são vítimas da violência, devido a dependência financeira com o agressor”, detalhou.

João César Mattogrosso alertou ainda que quem testemunhar agressão e violência contra a mulher deve sim intervir e denunciar para o através do Disque 180.

“Denuncie e vamos juntos nessa luta pelo combate à violência contra a mulher”, concluiu.

Foto: Divulgação/Assessoria

*Com assessoria.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: