Cultura

Originário do povo terena, Eliel ensina língua materna para cultura viver além da aldeia

“Elóketi kaxéna kopénoti”. Em terena, a frase significa “Feliz Dia do Indígena”. Para ensinar tanto a pronúncia quanto a escrita, Eliel repete pelo menos três vezes cada palavra e acompanha a tentativa dos alunos em reproduzir.

A aula de terça-feira (18), véspera do Dia dos Povos Originários, começou com uma breve e profunda lição: “por que não falar índio?” questionava o professor na tela, logo após o cabeçalho “Língua Terena”.

“Por trás da palavra índio há vários preconceitos carregados, é como se o índio não tivesse conhecimento, fosse um povo primitivo e agressivo. Por isso devemos falar indígena, é este o termo que traduz quem somos nós como diversidade cultural”, explica Eliel.

Eliel Tiago Pio tem 31 anos, é professor de geografia e desde 2018 vem ensinando a língua materna pela internet. Toda terça, às 19h, ele se conecta da Aldeia Tereré, em Sidrolândia, e compartilha o link para quem quiser assistir em qualquer lugar.

São cerca de 50 minutos de fala, com a tela espelhada para um documento no word, onde Eliel explica as cores e forma frases de uso no cotidiano, como perguntar se você vem à minha casa amanhã ou se está chovendo aí.

A ideia de ensinar a língua terena nas redes sociais veio depois de um anúncio mostrar uma pessoa ensinando inglês de forma simples com o que se conversa no dia a dia.

“Eu estava pensando em que forma eu contribuiria para a minha comunidade. Aí eu vi e pensei: ‘por que não ensinar o terena’? Foi assim que iniciei com postagens no Facebook”, recorda.

As frases em terena logo ganharam compartilhamentos e mostravam a força do pertencimento das comunidades terenas, além da curiosidade dos não indígenas. E aquilo que outrora Eliel vira se perdendo, foi sendo reconstruído.

“Mostrar o trabalho que nós fazemos é muito importante para que outras pessoas possam conhecer como é a nossa cultura, nosso ensino, principalmente de língua terena, e também para desconstruir essa imagem estereotipada de que indígenas ficam apenas na aldeia, ali caçando pelados, sem fazer nada”.

Quem quiser assistir às aulas de Eliel Terena pode entrar em contato com ele no Instagram (https://instagram.com/elielterena?igshid=YmMyMTA2M2Y=). A participação é gratuita.

TextoPaula Maciulevicius, Setescc

Fotos: reprodução

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: