PolíciaPolítica

Radialistas fazem comentários racistas contra índios em programa ao vivo

Foto: Reprodução

Em vídeo que circula na internet, os jornalistas Cícero e Paulo Vagner do programa Espaço Aberto da rádio Grande FM, 92 FM disparam comentários racistas contra a população indígena de Dourados, em Mato Grosso do Sul (MS).

Os radialistas comentam sobre sacos de lixo mais resistentes, que espantam gatos que constantemente rasgam os sacos, fazendo bagunça com lixo. “Esses novos sacos que estão saindo, eles têm um cheiro muito forte. E esse cheiro inibe a chegada do gato para rasgar o saco de lixo”.  Em seguida, o radialista Cícero emenda um comentário cheio de preconceito, comparando a animais que vivem revirando lixo para comer.

“Se fosse só gato, os índios também adoram rasgar sacos (de lixo)”. A opinião é complementada em tom irônico pelo radialista Paulo Vagner, “Se for colocar um cheiro para espantar os índios, vai ser difícil”.

A cidade de Dourados tem a mais populosa reserva indígena do país, são cerca de 17 mil indígenas, que contemplam as etnias Guarani, Guarani Kaiowá, Guarani Ñandeva e Terena. A densidade populacional é 5,3 vezes maior que a de Campo Grande, Capital do Estado.

Com cerca de 3,5 mil hectares, considerada também um confinamento por antropólogos, a reserva fica a poucos quilômetros do centro da cidade de Dourados, uma das mais ricas do Estado, devido ao setor do agronegócio e umas das mais desiguais também. O preconceito se confunde com a rivalidade por conta das demarcações de terras indígenas, em que o agronegócio, principal economia da cidade é contra. 

As comunidades indígenas têm sido muito afetadas durante a pandemia, pela fome, falta de assistência médica, que vem aumentando consideravelmente os casos de coronavírus (covid-19).

Deixar um comentário

%d blogueiros gostam disto: