CidadesPolíticaSaúde

Campo Grande vai antecipar cinco feriados e terá semana similar a um lockdown

Devido ao aumento expressivo de casos confirmados e falta de leitos, feriados de abril, junho, agosto e setembro serão antecipados

Após reunião com autoridades de saúde, e também com representantes do comércio, o prefeito de Campo Grande, Marcos Trad (PSD), decidiu antecipar cinco feriados deste ano, a partir da próxima semana, na segunda-feira (22). 

Na prática, a cidade ficaria com todas as atividades não essenciais fechadas durante toda a próxima semana, algo similar às medidas restritivas conhecidas como lockdown.

De acordo com o prefeito, dos dias 22 a 26 de março, a partir da próxima segunda-feira, serão antecipados feriados e nestes dias, só poderão funcionar serviços essenciais durante 24 horas. 

“Todas as capitais estão realizando, sem prejuízo ao comércio, e salvando vidas”, afirmou o prefeito Marcos Trad após a reunião.

Abaixo, as novas datas do feriado, e a data original:

  • 22 de março (2 de abril – Sexta-Feira da Paixão)
  • 23 de março (21 de abril – Tiradentes)
  • 24 de março (13 de junho – Dia de Santo Antônio, padroeiro da Capital)
  • 25 de março (26 de agosto – aniversário de Campo Grande)
  • 26 de março (7 de setembro – Independência do Brasil)

“Não há necessidade de lockdown. Há necessidade de um prazo para a gente evitar esse colapso”, disse o prefeito. Apesar da declaração do prefeito, na noite de quarta-feira (17), 96 pessoas com Covid-19 esperavam por um leito de unidade de terapia intensiva (UTI) em hospitais da Capital.

A semana em Mato Grosso do Sul teve dois recordes trágicos: 39 mortes em 24 horas, conforme boletim da terça-feira (16) e 42 no balanço do dia seguinte.

Participam da reunião além do Prefeito, os representantes do comércio, os secretários municipal e estadual de Saúde, José Mauro Filho e Geraldo Resende, todo o restante do secretariado municipal, a promotora Filomena Depólito Fluminham e representantes de hospitais particulares da Capital, Defensoria Pública e Procon. 

PROSSEGUIR 

Campo Grande entrou no grau de risco extremo da contaminação por Covid-19, classificado como bandeira cinza, conforme o relatório situacional do Programa de Saúde e Segurança da Economia (Prosseguir) divulgado nesta quinta-feira (18).

Em todo o Mato Grosso do Sul, maioria dos municípios está na bandeira vermelha, considerada grau de risco alto. De acordo com o Prosseguir, quando um município atinge o grau extremo, são recomendadas medidas mais rígidas, como o fechamento de atividades consideradas não-essenciais.

Serviços essenciais são aqueles que não podem parar, como coleta de lixo, atividades de saúde, serviços de entrega de alimentos, produtos de higiene e medicamentos, por exemplo.

BOLETIM

Campo Grande já soma 80.320 casos confirmados e 1.631 óbitos, desde o inicio da pandemia. Nas últimas 24 horas, foram contabilizadas 297 confirmações e 8 mortes, de acordo com dados do Boletim Epidemiológico da Secretaria Estadual de Saúde (SES).

Campo Grande, Sidrolândia, Dourados, Terenos, São Gabriel do Oeste, Três Lagoas, Ponta Porã, Bonito, Naviraí, Coronel Sapucaia, Inocência, Bandeirantes, Anastácio, Rio Brilhante, Brasilândia, Caarapó e Amambaí são as cidades do Estado que apresentaram mortes nas últimas 24 horas.

A ocupação global de leitos de UTI do Sistema Único de Saúde (SUS) na macrorregião de Campo Grande está em 107%; Dourados 98%; Três Lagoas 93% e Corumbá 100%.

Mato Grosso do Sul tem 31 novos óbitos e 1.254 casos nas últimas 24 horas. Com isso, o Estado já contabiliza 198.795 diagnósticos positivos e 3.740 óbitos.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: