Política

Inquérito envolvendo nome de ex-prefeito deve ser concluído em 30 dias

A delegada da Deam (Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher), Maíra Pacheco, disse que o inquérito policial sobre suposto assédio sexual envolvendo o nome do ex-prefeito de Campo Grande e pré-candidato ao Governo, Marquinhos Trad (PSD), deve ficar pronto em 30 dias. O anúncio foi feito em coletiva na manhã desta terça-feira, na DGPC (Delegacia Geral de Polícia Civil), na Capital. 

Ele é acusado de assédio contra mulheres durante o período que passou à frente do município. Além disso, relato feito pelo próprio ex-prefeito, afirmando que pessoas foram pagas para registrar denúncia contra ele também serão apuradas pela polícia. Caso isso seja provado, elas poderão responder por falso testemunho.

Durante questionamentos nesta manhã, a delegada relatou que mais mulheres realizaram denúncias contra Trad, porém, não citou a quantidade, conforme relatado pela imprensa. O processo ainda está em fase de oitivas.

As denúncias

As primeiras denúncias chegaram até a Polícia Civil de Mato Grosso do Sul através de mulheres que afirmaram ter sofrido assédio sexual por parte do então prefeito Marquinhos Trad (PSD). 

Nos depoimentos delas, segundo noticiado pelo portal Metrópoles, relataram passar por dificuldades financeiras e foram atraídas ao gabinete do chefe do Executivo com a promessa de saírem de lá empregadas. 

Porém, no local eram cortejadas pelo prefeito, “que fazia truques de mágica com baralho e, depois, manifestava o desejo por sexo”, relata trecho do material divulgado pelo portal.

Duas das denunciantes afirmam ter mantido relações sexuais consentidas dentro do gabinete durante algum tempo. A outra, alegou ter sido levada por Trad ao banheiro do gabinete e se recusou. 

Uma quarta mulher também prestou depoimento confirmando o relato de duas testemunhas, mesmo sem estar com o ex-prefeito pessoalmente.  

Após os relatos iniciais, pelo menos outras cinco mulheres procuraram a delegacia relatando serem vítimas do assédio por parte de Marquinhos Trad. 

A defesa

Através de material encaminhado pela assessoria de imprensa do ex-prefeito, ele nega as acusações de assédio e fala em armação. 

“Em relação às notícias veiculadas na imprensa que envolvem o nome do pré-candidato ao Governo do Estado Marquinhos Trad, faz-se necessário esclarecer que a investigação em andamento demonstra a inexistência da prática de crimes sexuais de natureza violenta. Até o presente momento, quatro mulheres foram ouvidas, sendo que apenas duas delas, de fato, são conhecidas de Marquinhos Trad. Uma, inclusive, ressalta que não conhece o ex-prefeito e sequer teve contato com ele”, relata trecho do material.

Ainda conforme a nota encaminhada, “nenhuma delas [que realizaram denúncias] estava subordinada a ele, por meio de cargo, emprego ou função pública – o que, por si só, descaracteriza o crime de assédio sexual e eventual prática de improbidade administrativa”.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: