Cidades

Liga anti mosquito reforça combate a dengue

O combate ao mosquito Aedes aegypti – transmissor da dengue, zika e chikungunya –  será  reforçado mais um ano com apoio da rede de supermercados Comper.  Na manhã desta terça-feira (22), ocorreu o lançamento da décima edição da Liga Anti Mosquito Comper, que irá mobilizar colaboradores e, em conjunto com a Secretaria Municipal de Saúde (SESAU), realizar ações de bloqueio e orientação.

As ações deste ano estão focadas nas vistorias às unidades Comper por agentes de combate a endemias da Coordenadoria de Controle de Endemias Vetoriais (CCEV) e também, com a realização de palestras aos colaboradores da Rede, em especial às atendentes de frente de caixas. Após este trabalho, a unidade se compromete em visitar uma escola ou Centro de Referência de Assistência Social (CRAS), para orientar as crianças.

O prefeito Marquinhos Trad lembra que toda as ações de conscientização para eliminação dos criadouros do mosquito Aedes aegypti são bem-vindas, pois contribuem para que os números não aumentem, evitando transtornos à população e reforça que é necessário o empenho e participação de todos no combate do mosquito a fim de evitar consequências trágicas.

“O mais importante é que a população tenha consciência de que neste momento cada um precisa fazer a sua parte. Não adianta somente o poder público estar vigilante e reforçar as ações se cada um não fizer a lição de casa. Manter os quintais limpos, evitar o acumulo de água e inclusive ser um agente propagador dessa necessidade. Assim vamos evitar que nossos filhos e familiares sofram não só com a dengue, mas também com a chikungunya que pode deixar uma pessoa debilitada de 4 a 6 meses e com a zika que provoca a microcefalia”, ponderou.

Marquinhos reiterou que o alerta se faz necessário, uma vez que mais de 70% dos focos do mosquito são encontrados dentro das residências, segundo o Levantamento Rápido de Infestação do Mosquito Aedes aegypti (LiRaa).

Reforço

Segundo o gerente regional da Rede Comper, a campanha Liga Anti Mosquito vai mobilizar os mais de 1500 colaboradores  das 12 lojas espalhadas por todas as regiões de  Campo Grande, que irão contribuir para levar informações e reforçar a necessidade dos cuidados.

“Estamos empenhados para multiplicar essa corrente e chamar a atenção não só do nossos colaboradores, mas também de todos os nossos clientes contribuindo para que a informações e necessidade do cuidado chegue até uma parcela maior da população”, disse.

Casos

Em 2018, Campo Grande registrou o menor número de casos notificados de Dengue dos últimos quatro anos. O saldo positivo é reflexo do trabalho de planejamento e estratégias adotadas pela Secretaria Municipal de Saúde (SESAU) no combate ao mosquito Aedes aegypti ao longo dos últimos dois anos.

De acordo com a série histórica extraída do boletim epidemiológico da Coordenadoria de Controle de Endemias Vetoriais (CCEV), de janeiro a dezembro de 2015, foram notificados 14.450 casos da doença. No mesmo período de 2016, foram 28.469 notificações, enquanto que em 2017 foram 3.190 casos. Em 2018 o número de notificações reduziu para 2.374.

Neste ano, até o momento foram registrados 451 casos de dengue frente a 420 notificados em janeiro passado (2018), o que reforça a necessidade do aumento dos cuidados com o mosquito.

Sintomas

Dengue

A infecção por dengue pode ser assintomática, leve ou causar doença grave, levando à morte. Normalmente, a primeira manifestação da dengue é a febre alta (39° a 40°C), de início abrupto, que geralmente dura de 2 a 7 dias, acompanhada de dor de cabeça, dores no corpo e articulações, prostração, fraqueza, dor atrás dos olhos, erupção e coceira na pele.

Perda de peso, náuseas e vômitos são comuns. Na fase febril inicial da doença pode ser difícil diferenciá-la. A forma grave da doença inclui dor abdominal intensa e contínua, vômitos persistentes, sangramento de mucosas, entre outros sintomas. Ao apresentar os sintomas, é importante procurar um serviço de saúde.

Chikungunya

Os principais sintomas são febre alta de início rápido, dores intensas nas articulações dos pés e mãos, além de dedos, tornozelos e pulsos. Pode ocorrer ainda dor de cabeça, dores nos músculos e manchas vermelhas na pele. Não é possível ter chikungunya mais de uma vez. Depois de infectada, a pessoa fica imune pelo resto da vida. Os sintomas iniciam entre dois e doze dias após a picada do mosquito. O mosquito adquire o vírus CHIKV ao picar uma pessoa infectada, durante o período em que o vírus está presente no organismo infectado. Cerca de 30% dos casos não apresentam sintomas.

Zika

Cerca de 80% das pessoas infectadas pelo vírus Zika não desenvolvem manifestações clínicas. Os principais sintomas são dor de cabeça, febre baixa, dores leves nas articulações, manchas vermelhas na pele, coceira e vermelhidão nos olhos. Outros sintomas menos frequentes são inchaço no corpo, dor de garganta, tosse e vômitos. No geral, a evolução da doença é benigna e os sintomas desaparecem espontaneamente após 3 a 7 dias. No entanto, a dor nas articulações pode persistir por aproximadamente um mês. Formas graves e atípicas são raras, mas quando ocorrem podem, excepcionalmente, evoluir para óbito, como identificado no mês de novembro de 2015, pela primeira vez na história.

Observe o aparecimento de sinais e sintomas de infecção por vírus Zika e busque um serviço de saúde para atendimento, caso necessário.

Deixar um comentário

%d blogueiros gostam disto: