Meio Ambiente

Mato Grosso do Sul sofre uma das maiores queimadas de sua história

Últimos dados do Inpe, o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais, apontam que o Mato Grosso do Sul queima com mais de 2,2 mil focos de incêndio, 92% deles concentrados nas regiões pantaneiras de Corumbá, Aquidauana, Miranda e Porto Murtinho. Os dados são dessa segunda-feira (4).

Um força-tarefa com 120 homens atua na região.

As autuações contra incêndios criminosos, neste ano, também aumentaram em relação a 2018. Até o momento, foram 28 autuações por incêndios urbanos e rurais. Em 2018 foram 15, o que significa um aumento de mais de 86%. Os órgãos ambientais já aplicaram R$ 4,6 milhões em multas.

Com a estiagem, o rio Paraguai também apresenta um dos menores níveis dos últimos 20 anos, registrando 1,20 metros, nesta segunda-feira (4). No mesmo período, em 2018, o rio estava com 2,60 metros.

Em todo o estado de Mato Grosso, a previsão do tempo para esta terça-feira (5) é de instabilidade, com céu parcialmente nublado e possibilidade de chuvas isoladas a partir da tarde, especialmente nas regiões sul e leste do estado.

Na tarde desta terça-feira, a umidade relativa do ar pode ter queda significativa e os valores podem chegar aos 30%.

As temperaturas em Mato Grosso do Sul, neste terça, podem variar entre de 22° a 40° graus Celsius.

Deixar um comentário

%d blogueiros gostam disto: