Política

Onda Bolsonaro de 2018 virou marola em 2020; candidata em Campo Grande naufragou

Foto: Reprodução/Facebook

Dos 12 candidatos a prefeito apoiados pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido) em suas “lives” semanais, apenas quatro se elegeram ou chegaram ao segundo turno, no país.

Desde a segunda-feira (9), Bolsonaro fez quatro “lives” para apresentar candidatos. Só de prefeitos, o presidente e seus ministros apoiaram uma dúzia de nomes.

Bolsonaro usou ainda as lives para apoiar candidatos a vereador — inclusive sua ex-assessora dos tempos de deputado federal, Walderice Santos da Conceição, a Wal do Açaí. Ela concorreu a uma vaga na Câmara de Vereadores de Angra dos Reis (RJ) pelo Republicanos, mas teve apenas 266 votos e não foi eleita.

Candidata a vereadora em Campo Grande pelo Democratas, a subtenente Edilaine Mansueto Alves foi uma das agraciadas, em uma das lives, com o apoio do chefe do Planalto e da ministra de Agricultura, Tereza Cristina (DEM).

“Ela é cabra da peste”, se referiram à subtenente da Polícia Militar em vídeo transmitido pelo Facebook. A afirmação se deu após Tereza Cristina falar sobre a candidata Edilaine. “Ela é ‘cabra da peste’ lá?”, perguntou Bolsonaro à ministra, que respondeu: “Ela é ‘cabra da peste’ sim, mulher né”.

No entanto, a ‘bênção’ de Jair não foi suficiente para eleger a policial militar. Edilaine Mansueto ficou longe de conseguir uma das 29 cadeiras na Câmara de Vereadores de Campo Grande. Com 1.932 votos conquistados no domingo (15), ela ficou em 18ª na lista de suplentes.

Edilaine Mansueto e Tereza Cristina. (Foto: Divulgação)

Deixar um comentário

%d blogueiros gostam disto: