Papo de Bastidor

Papo de Bastidor: Operário e Comercial perdem quase R$ 1 milhão em patrocínio para futebol de base

Foto: Franz Mendes/Portal de MS

Operário e Comercial perderam uma oportunidade de ouro para formação de atletas no final de 2020. Uma empresa do ramo de saúde do Nordeste, que irá chegar em 2021 com tudo no Mato Grosso do Sul propôs patrocinar por meio de leis de incentivo fiscal ao esporte quase R$ 400 mil reais para cada equipe, porém a diretoria Operariano recusou a oferta, diante a em incerteza de quem comandará o Galo em 2021.

A proposta valeria apenas se as duas equipes da Capital, as duas maiores vencedoras do Estado topassem. Com isso, o Comercial saiu perdendo diante a negativa operariana.

O time do Operário ainda não tem todas as certidões fiscais exigidas para apresentar o projeto, já contam com a CND do FGTS, Dívidas Federais, porém há dois processos trabalhistas travando a CNDT (Certidão Negativas de Débitos Trabalhistas), que devem ser resolvidos rápido, pois foi realizado um acordo em 15 parcelas de R$ 1 mil reais e segundo processo solicitou a penhora dos recursos da Loteria Esportiva Time Mania. Com isso, o Operário poderá apresentar projetos por meio de leis de incentivo em 2021, se tudo dar certo.

Para não perder a oportunidade, a diretoria comercialina chegou a propor, que a associação parceira CEFAC que conta com projeto aprovado pela Lei de Incentivo ao Esporte Federal, propusesse outro projeto para apoiar o Operário, enquanto o time alvinegro não se regularizasse e até mesmo, que o primeiro projeto que recebesse o recursos ainda em 2020,por meio do CEFAC fosse para equipe operariana, e o segundo projeto para equipe colorada em março de 2021, mas mesmo assim não houve acordo e os times perderam o prazo para dar o aceita para proposta nordestina. 

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: