Política

Reviravolta pode deixar Campo Grande com apenas uma vereadora na Câmara

Camila Jara pode ser a única representante feminina na Câmara da Capital. (Foto: Reprodução/Facebook)

A representatividade feminina na Câmara Municipal de Campo Grande, que já era pífia, pode ficar ainda pior. Isso porque uma reviravolta no registro de candidatura de Delei Pinheiro (PSD) deve tirar a cadeira da vereadora Dharleng Campos (MDB), que foi reeleita nas eleições deste ano.

Desta forma, a legislatura a ser iniciada em 2021 teria apenas a vereadora Camila Jara (PT), eleita com 3.470 votos, como única representante feminina no Legislativo da Capital.

Delei teve o registro indeferido pela Justiça Eleitoral e, com isso, seus 3.850 votos foram considerados nulos, portanto, desconsiderados no resultado final do pleito. Porém, um acordo poderá regularizar sua candidatura e seus votos se tornarem válidos, garantindo a ele uma das 29 cadeiras na Câmara.

Segundo o blog O Jacaré, o Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso do Sul (TRE-MS) vai validar os 3.850 votos de Delei Pinheiro, que teve a candidatura indeferida por não ter feito a biometria em 2018, quando era obrigatório em Campo Grande.

Pelo acordo, o ex-vereador deverá regularizar a situação na próxima segunda-feira e ficar quite com a Justiça Eleitoral. Com isso, os votos serão validados e haverá novo cálculo do quociente eleitoral. 

Caso isso ocorra,  O PSD, do prefeito Marquinhos Trad, deve ganhar mais uma vaga na Casa de Leis e o MDB vai perder a da vereadora Dharleng Campos, que teve 1.782 votos e conseguiu a cadeira graças ao quociente eleitoral do partido.

Dharleng Campos pode ficar fora da próxima legislatura. (Foto: Divulgação/Assessoria)

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: