Política

‘Tem que deixar de ser um país de maricas’, diz o boçal presidente da República, Jair Bolsonaro

Foto: Arnd Wiegmann/Reuters

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) afirmou nesta terça-feira (10) que o Brasil precisa deixar de ser um “país de maricas”. Ele fez essa declaração enquanto comentava sobre a covid-19, doença que matou até o momento 162 mil brasileiros e ainda está longe de ser controlada.

Bolsonaro ainda falou que “tudo agora é pandemia” e que “tem que acabar esse negócio”. Para contemporizar, disse que lamenta as mortes, mas logo depois voltou a sua estupidez habitual e demonstração de que pouco se importa com a vida dos brasileiros: “todos nós vamos morrer um dia”.

“Tudo agora é pandemia, tem que acabar com esse negócio. Lamento os mortos, lamento. Todos nós vamos morrer um dia, aqui todo mundo vai morrer. Não adianta fugir disso, fugir da realidade. Tem que deixar de ser um país de maricas. Olha que prato cheio para imprensa. Prato cheio para a urubuzada que está ali atrás. Temos que enfrentar de peito aberto, lutar”, disse Bolsonaro, durante evento no Palácio do Planalto.

Obviamente todos vão morrer um dia, mas se depender de Jair Bolsonaro, que mais cedo nesta terça comemorou a suspensão de testes de uma das vacinas contra a covid-19, não vale a pena poupar vidas que poderiam ser salvas com medidas contra o coronavírus. E Bolsonaro, o tosco, não tem o menor pudor em demonstrar que não possui um mínimo de empatia.

Como não poderia ser diferente, o presidente também minimizou a possibilidade de uma “segunda onda” do coronavírus, como tem ocorrido em países da Europa e nos EUA, dizendo que “tem que enfrentar”:

“E agora já começam a enfrentar o povo brasileiro com uma segunda onda. Tem que enfrentar, pô, é a vida. Tem que enfrentar.”

*Com jornal O Globo.

Leave a Response

%d blogueiros gostam disto: