Esporte

Zé da Farmácia participa do lançamento do estadual de futebol de MS; Rose garante mais R$ 500 mil

Futebol movimenta R$ 4,1 milhões na economia local todos os anos 

O vereador Zé da Farmácia (PODEMOS) participou na manhã desta sexta-feira (26) do lançamento do Campeonato Estadual de Futebol 2021. Durante a cerimônia, a deputada federal Rose Modesto (PSDB) assegurou que investirá mais R$ 500 mil no projeto por meio de uma emenda parlamentar individual para ajudar as custear o campeonato e beneficiar todos os dez times que participam da competição. 

Zé da Farmácia (PODEMOS) interviu junto a deputada Rose para que essa emenda garantisse mais recursos para o campeonato estadual, justamente para suprir as necessidades dos clubes de Campo Grande, Comercial, Operário, União e Novo, cidade que tem mais representantes na competição. 

“Eu acompanho o campeonato estadual e sempre ouvi a reclamação dos dirigentes dos custos elevados no transporte para viajar de uma cidade para outra, que gerava um desespero aos clubes, que passam por dificuldades financeiras, agora mais ainda durante a pandemia do coronavírus, que ainda não acabou”, lembrou o vereador que agradeceu a iniciativa da deputada, que irá ajudar os clubes da Capital e interior.

Para a deputada, mesmo em uma crise financeira e sanitária, o futebol com todas suas medidas de segurança e sem público tem conseguido alegrar um pouco a vida dos sul-mato-grossenses em casa. 

Com o novo valor, o aporte do governo do Estado passará dos atuais R$ 820.000 para R$ 1.320.000,00 na próxima competição 2022. Hoje são os recursos investidos para bancar a alimentação, hospedagem, uniformes e material esportivo, arbitragem e mídia. Com o plus no valor a ser integrado ao patrocínio do campeonato estadual, também poderão ser pagos o custeio do transporte para as viagens dos dez times que disputam a elite do futebol estadual.  

Empregos 

Muitos não enxergam, mas esse subsídio estatal ajuda a movimentar cadeia do esporte e da economia local das cidades. Cada um dos clubes movimentam entre jogadores, comissão técnica e administrativa pelos menos quase 50 pessoas diretamente, são cerca de 500 empregos diretos gerados entre janeiro e maio durante a pré-temporada e competição em si.   

Em média para cada R$ 1 real investido pelo Governo do Estado no campeonato os clubes investem outros R$ 4 por meio de patrocínios, doações, premiações e outros recursos que arrecadam, gerando uma movimentação na economia do estado de cerca de R$ 4,1 milhão, que ficam no Estado, gerando o impacto indireto com empregos que envolvem a cadeia produtiva do futebol nos setores de transporte, hoteleiro, do setor de alimentação, bens e produtos como as bolas utilizadas na competição da Topper, que são produzidas no Estado, todos uniformes  feitos por uma empresa em Dourados. 

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: