Meio Ambiente

Ações de conservação do solo e água contribuem com meta de tornar MS Carbono Neutro até 2030

Neste sábado, dia 15 de abril, comemora-se no Brasil o Dia Nacional da Conservação do Solo. Em Mato Grosso do Sul, as ações para a conservação do solo e da água realizadas pelo Governo do Estado, por meio da Semadesc (Secretaria de Meio Ambiente, Desenvolvimento, Ciência, Tecnologia e Inovação) estão alinhadas com a estratégia de tornar o Estado um território Carbono Neutro até 2030, equilibrando a preservação do meio ambiente com a manutenção das atividades econômicas de maneira sustentável.

“O solo e a água são o maior tesouro do empresário rural, por isso, conservar esses dois recursos é uma das ações fundamentais para o MS Carbono Neutro. O Governo do Estado compreende que esse é um trabalho conjunto do poder público com a sociedade, daí a importância do PROSOLO, que é o nosso Plano Estadual de Manejo e Conservação de Solo e Água de Mato Grosso do Sul. O solo tem uma enorme capacidade de sequestrar e armazenar carbono. Por isso, passa a ser protagonista na contribuição da mitigação das mudanças climáticas”, comenta o secretário Jaime Verruck, da Semadesc.

Até o final de 2022, o Governo do Estado concluiu a entrega do kit de máquinas do PROSOLO a todos os 79 municípios sul-mato-grossenses. O kit é composto por uma pá-carregadeira, uma escavadeira hidráulica e dois caminhões. “Nós investimos mais de R$ 200 milhões, sendo R$ 100 milhões do Governo do Estado e R$ 100 milhões do Ministério da Agricultura para que a gente pudesse dar o suporte e infraestrutura adequada a todos os municípios para as ações de conservação do solo e da água, que envolvem a recuperação de estradas e outras áreas degradadas”, lembrou Jaime Verruck.

A ação embrionária do PROSOLO foi a criação da Câmara Técnica de Conservação do Solo e da Água, no ano de 2019, atendendo às demandas dos municípios de Bonito e Jardim, em função dos problemas provocados pelas chuvas na região, levando ao turvamento da água dos rios que integram os atrativos turísticos daquela localidade.

“Identificamos o problema, agimos com celeridade e encontramos uma solução que culminou com a criação do PROSOLO”, lembra o titular da Semadesc. De 2019 a 2023, a Câmara Técnica analisou, propôs adequações e aprovou 280 projetos relacionados diretamente o uso do solo na região, contemplando uma área de 64.890,59 hectares nos municípios de Bonito, Jardim, Bela Vista, Bodoquena e Miranda, com impacto direto nos rios Formoso, da Prata, Betione e Salobra.

Atualmente, uma das ações do PROSOLO está concentrada na região do Taquari, para recuperação de áreas degradadas e da bacia hidrográfica. Já foi realizada a cedência de 2 tratores agrícolas; 3 terraceadores agrícolas; 1 veículo; 1 pá carregadeira; 2 carretas de 4 toneladas aos munícios integrantes do COINTA. Até o momento já foram atendidos 45 produtores, com previsão de atender 107 produtores no total (90 com até 4 módulos rurais). Já foram realizados 247 km de terraços agrícolas (1.265 ha) e 4,2km de adequação de estradas rurais.

O coordenador do PROSOLO, Elói Panachuck, lembra que as atuais ações do PROSOLO são: o Programa Estadual de Manejo e Conservação do Solo e Água no Entorno dos Rios Cênicos da Bacia Hidrográfica do Rio Miranda; Projeto Águas de Bonito (Rio Mimoso); Programa Estadual de Manejo, Recuperação e Conservação do Solo e Água em Microbacias Hidrográficas na Bacia do Rio Paraná; Programa Estadual de Acesso a Fertilizantes e Corretivos de MS – PRO FERTILIZA MS; PESA – Prog. Estadual de Serviços Ambientais no entorno dos rios cênicos da Bacia Hidrográfica do Rio Miranda; Programa de Restauração Ambiental da Bacia do Rio Iguatemi (CONISUL) e Bacia do Rio Ivinhema; Programa Estadual de Manejo, Recuperação e Conservação do Solo e Água na Bacia Hidrográfica do Rio Taquari – Projeto Córrego da Pontinha, em Coxim; Projeto de Recuperação da Microbacia Hidrográfica do Córrego Pontinha – Coxim/MS.

Texto: Marcelo Armôa, Assessoria de Comunicação da Semadesc

Deixe uma resposta