Educação

Programa ajudou 1,6 mil universitários a conquistar diplomas em Mato Grosso do Sul

Com um investimento de R$ 76 milhões, os programas Vale Universidade (PVU) e Vale Universidade Indígena (PVUI) ajudaram 1,6 mil sul-mato-grossenses, desde 2015, a conquistar o diploma de ensino superior. E somente neste ano, mais 55 universitários beneficiados pelo programa vão concluir os estudos.

Entre esses profissionais formados com a ajuda do Vale Universidade está o jornalista Joilson Francelino Santana, de 30 anos, que hoje trabalha na Comunicação do Governo do Estado. Segundo ele, a realização do sonho de se formar só foi possível por conta do incentivo.

“O Vale Universidade foi muito importante na minha formação profissional. Eu acredito que eu não chegaria aonde cheguei hoje se não tivesse essa oportunidade, lá no começo, no segundo semestre da faculdade, quando consegui a bolsa que me deu a oportunidade de conhecer a realidade da profissão que eu tinha escolhido. Aquela coisa de estudar e praticar já te coloca um pouquinho à frente, no mercado de trabalho, e isso foi abrindo muitas portas. Acho que hoje, estou onde estou tanto pela força de vontade, mas muito pela oportunidade que tive lá no começo e que eu soube aproveitar. O Vale Universidade foi um divisor de águas na minha vida profissional”, contou.

É que além do benefício social, o programa também oferece estágio aos acadêmicos em instituições parceiras envolvidas com a área relacionada ao estudo do aluno. Por meio do Vale Universidade, o Governo do Estado paga até 70% do valor da mensalidade na universidade conveniada, e a instituição oferece dedução de mais 20%, totalizando 90% de incentivo, cabendo ao acadêmico os 10% restantes.

A acadêmica de enfermagem Gabriella Barbosa Rolon, 21 anos, estudante do 10° semestre na Anhanguera, conta com o benefício há quatro anos e já fez estágio em vários lugares como o Hemosul e a maternidade Cândido Mariano e hoje está no Hospital Regional.  “O Vale Universidade foi uma grande ajuda financeira e profissional porque o estágio ajuda muito a se sentir segura sobre a profissão, se é realmente o que você quer”, contou Gabriella, que vai se formar ainda em 2021.

E para o próximo ano, o Governo do Estado prevê abrir 1.100 vagas, 1.000 no PVU e 100 no PVUI. Para participar é necessário cumprir vários requisitos, como ter renda individual de até dois salários mínimos e meio e renda familiar mensal não superior a quatro salários mínimos. 

O aluno deve estar matriculado nos cursos de graduação presencial, mantidos por instituição de ensino superior pública ou privada, sediada no Estado de Mato Grosso do Sul e conveniada ao programa. Além disso, o aluno não pode possuir outro curso de graduação de nível superior e deve morar em Mato Grosso do Sul há mais de dois anos.

Paulo Fernandes, Subcom (com informações de Leomar Alves Rosa, da Sedhast)

Foto destaque: Edemir Rodrigues

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: